OAB-PE vai faz censo da advocacia no estado

Projeto foi apresentado ontem à noite durante a posse festiva do presidente Fernando Ribeiro Lins e da diretoria, que assumiram em janeiro deste ano

Por Tádzio Estevam
politica@diariodepernambuco.com.br

A posse festiva dos novos dirigentes da Ordem dos Advogados do Brasil em Pernambuco (OAB-PE) para o triênio 2022-2024 aconteceu ontem no Teatro Guararapes, no Centro de Convenções. Fernando Ribeiro Lins e Ingrid Zanella, da chapa ‘OAB Mais Unida’, assumiram a OAB em janeiro deste ano, após terem vencido as eleições da categoria em novembro de 2021. A nova diretoria anunciou o lançamento do Censo da Advocacia Pernambucana, uma iniciativa pioneira da OAB-PE, que servirá de modelo para outros estados e para a nacional traçarem o perfil da advocacia no Brasil. A posse contou com a presença do presidente do Conselho Federal da OAB, Beto Simonetti, além do governador Paulo Câmara, e do prefeito do Recife, João Campos.

O Censo da Advocacia Pernambucana consiste em um mapeamento que traçou perfis da classe levando em conta a formação, as experiências profissionais, o gênero, a raça e outras características sociodemográficas. “Os dados que apresentamos aqui foram trabalhados com a mesma metodologia que o IBGE adota para o Censo populacional”, informou Fernando Lins. “Estamos trabalhando em um projeto que envolverá o Brasil inteiro. Ele está em fase de planejamento para fazer um tipo de recenso onde conheceremos mais a realidade da advocacia do nosso país”, disse o presidente da OAB Nacional, Beto Simonetti.

A pesquisa foi realizada pela OXY.SOCIAL, sob coordenação de Rafael Sales. “Somente conhecendo a nossa classe é possível trabalhar iniciativas que façam da nossa Instituição a casa de toda a advocacia”, declarou o diretor presidente da OAB-PE.


Novidades


Nos primeiros quatro meses de gestão, Fernando e Ingrid conseguiram tirar do papel algumas propostas apresentadas durante a campanha, como a criação do Núcleo de Defesa das Prerrogativas da Mulher Advogada; Crédito Bumerang; a paridade de gêneros nas comissões; e da cota de pelo menos 30% de negros na formação da lista sêxtupla para a indicação de desembargadores para os tribunais locais, o Quinto Institucional. Outra que mexe diretamente no bolso dos advogados foi a diminuição da taxa de anuidade que está entre as menores do país.

“A advocacia viveu, assim como todas as outras áreas, um momento muito difícil por causa da pandemia. Por isso, esperamos dar um apoio forte aos nossos advogados e advogadas do Cais ao Sertão”, disse Fernando Lins.

De acordo com a vice-presidente eleita, Ingrid Zanella, a nova gestão renova a meta de fazer uma OAB cada vez mais empática e representativa. “A nossa OAB está de portas abertas para mulheres, jovens, negros, estes, inclusive, já constam na nossa paridade do Quíntuplo Institucional, possibilitando que a nossa lista sêxtupla tenha paridade de gênero e cota racial”.

O governador Paulo Câmara reforçou o papel da entidade para a sociedade pernambucana. “Já são 90 anos servindo a Pernambuco. A OAB tem o dever de continuar olhando pela justiça das pessoas, além do compromisso de ajudar a manter o estado democrático de direito”, disse.

Fonte: Jornal Diário de Pernambuco

Compartilhe!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

EnglishPortugueseSpanish